quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Homem recebe primeiro transplante duplo de braço e ombro



A ciência cada vez mais evoluída. Um homem da Islândia foi o primeiro do mundo a receber um transplante duplo de braço e ombro.

A cirurgia foi um sucesso e o paciente, o islandês Felix Gretarsson, de 48 anos, passa bem.

A operação delicada envolveu quatro equipes cirúrgicas para minimizar o tempo de transição entre o doador e o receptor. O procedimento foi feito em Lyon, na França.

Os médicos informaram em entrevista coletiva que a cirurgia foi realizada no início deste mês e, por enquanto, ainda não é possível prever quanto da mobilidade do paciente será recuperada.

“Dar um pouco para alguém que estava perdendo tanto já é muito”, afirmou o cirurgião-chefe da operação, Aram Gazarian.

“Com este nível de amputação, não podemos prometer nada”, afirmou o cirurgião que lançou o protocolo médico para a operação em 2010, Lionel Badet.

Os médicos afirmaram que a perspectiva de o braço direito se tornar funcional é melhor do que a do esquerdo, que também exigiu uma reconstrução completa do ombro.

Eles garantiram que nenhuma complicação séria foi detectada, nove dias após a operação.

“Gretarsson tem anos de reeducação pela frente, mas vamos apoiá-lo por toda a vida”, disse Lionel Badet.

O acidente

O islandês Felix Gretarssoné era eletricista e perdeu os dois braços em um acidente elétrico, em 1998.

Ele trabalhava em um fio de alta tensão quando uma onda de 11 mil volts queimou suas mãos e o jogou no chão.

Felix sofreu múltiplas fraturas e ferimentos internos, ficou em coma por três meses, e, neste período, sofreu a amputação de ambos os braços.

“Eu perdi tudo após o rescaldo, minha noiva foi embora com nossas duas filhas, perdi minha capacidade de cuidar de mim mesmo e perdi minha identidade […] Mergulhei nas drogas e na depressão. Nos quatro anos seguintes, minha vida só piorou”, contou Felix no site dele.

A virada

Depois de mergulhar na tristeza, ele conseguiu sair do fundo do poço e começou a enxergar a vida com outros olhos.

“Felizmente, chegou o dia do despertar. […] Percebi que era muito mais forte do que pensava e que o mundo está cheio de pessoas boas que podem nos ajudar a superar nossas dificuldades”, escreveu Felix.

Ele passou a compartilhar sua rotina com milhares de seguidores, a realizar palestras motivacionais contando sua história e dividiu essa parceria com a nova esposa, a professora de ioga Sylwia Gretarsson.

domingo, 24 de janeiro de 2021

Cego volta a enxergar após 1º transplante de córnea artificial do mundo



Deu certo. Pela primeira vez na história um homem cego voltou a enxergar. O paciente foi operado por médicos do Rabin Medical Center, em Israel e recebeu o primeiro transplante de córnea artificial bem-sucedido do mundo. 24 horas depois ele já estava enxergando.

O homem é um idoso de 78 anos, chamado Jamal Furani, que ficou cego durante 10 anos.

Ele perdeu a visão por ter córnea deformada e após o implante foi capaz de ler textos e reconhecer parentes. A primeira coisa que ele afirma ter visto foi a luz.

“Testemunhar um outro ser humano recuperar a visão no dia seguinte foi eletrizante e emocionalmente comovente”, disse o doutor Gilad Litvin, inventor do dispositivo, em entrevista ao Israel Hayom.

Como

O implante artificial, denominado KPro, pode substituir uma córnea deformada ou opaca.

Ele tem um nano-tecido sintético não degradável que é colocado sob uma membrana que cobre a superfície da pálpebra e a parte branca do globo ocular.

Ao ser implantado, ele se integra com o tecido vivo e estimula a “proliferação celular” dentro do olho.

O procedimento foi feito pela startup israelense CorNeat e foi aprovado para testes clínicos em julho do ano passado.

O doutor Gilad Litvin contou que operação era “relativamente simples” e durou menos de uma hora.

Futuro

Atualmente, transplantes de córnea são procedimentos comuns, mas necessitam de doadores e a demanda é alta.

Os resultados deste transplante de córnea artificial são significantes para o futuro de pessoas cegas no mundo.

“O procedimento cirúrgico foi simples e o resultado superou todas as nossas expectativas”, disse o professor Irit Bahar, chefe de oftalmologia do Rabin Medical Center.

Ele complementa que a tecnologia era “a chave para virar a maré contra a cegueira global” e que era emocionante “estar na vanguarda desde projeto que sem dúvida impactará milhões de vidas”.

Outros 10 pacientes foram aprovados para fazer o procedimento de transplante de córnea artificial no Rabin Medical Center.

Com informações do Israel Hayom e  Exame

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Alzheimer: Lilly anuncia remédio que reduz perda de memória em 32%


Esperança contra o Alzheimer. A Eli Lilly & Company, uma das maiores farmacêuticas do mundo, anunciou que conseguiu produzir um remédio capaz de reduzir em 32% a perda de memória dos pacientes e retardar a doença.

Além melhorar a memória – em comparação com os indivíduos que ingeriram placebo – a companhia informou que as pessoas que tomaram o remédio também tiveram ganho na capacidade de realizar atividades da vida cotidiana.

O nome da substância usada é donanemab. Por enquanto, o medicamento não está à venda, é experimental.

A notícia saiu esta semana no The Wall Street Journal, que disse: “Se as descobertas do pequeno ensaio de Fase 2 de Lilly se confirmarem, isso sugere que os pesquisadores descobriram um medicamento que pode pelo menos retardar o Alzheimer”.

O jornal norte-americano informou que os dados são de um pequeno estudo feito pela Lilly nos últimos 18 meses.

A companhia divulgou alguns destaques dos resultados da pesquisa e garantiu que, em breve, fará uma publicação completa, assim que os resultados do estudo forem revisados por seus pares.

Marco histórico

Na reportagem, Daniel Skovronsky, diretor científico da Lilly, disse que o momento é único e um marco histórico para os pacientes com Alzheimer.

O anúncio fez com que as ações da companhia valorizarem em dois dígitos.

Eles chegaram a subir 12% na Bolsa de Valores de Nova York.

Agora é torcer para saiam logo os resultados e que, depois, o medicamento passe na fase 3 e seja aprovado pela FDA, a Anvisa dos EUA.

Com informações do WallStreetJournal

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Artrite: nova técnica pode aliviar dores em 85%



Notícia boa para pessoas que sofrem de artrite moderada a grave nas articulações do quadril e do ombro.

Pesquisadores da University School of Medicine em Atlanta, Geórgia, EUA, apresentaram este mês um procedimento ambulatorial que oferece alívio duradouro da dor e reduz a dependência de opiáceos. Foi durante a reunião anual da SRNA – Sociedade Radiológica da América do Norte.

Trata-se de um novo tratamento de radiologia intervencionista conhecido como ablação por radiofrequência resfriada (c-RFA) para alcançar o alívio da dor em casos de de artrite degenerativa avançada.

“Os resultados foram muito impressionantes e promissores. Os pacientes com dor no ombro tiveram uma diminuição da dor de 85% e um aumento da função de aproximadamente 74%. Em pacientes com dor no quadril, houve uma redução de 70% na dor e um ganho em função de aproximadamente 66%. ”.

A afirmação é do doutor Felix M. Gonzalez, M.D., do Departamento de Radiologia da Emory University School of Medicine em Atlanta.

Como

O procedimento envolve a colocação de agulhas onde estão os principais nervos sensoriais ao redor das articulações do ombro e do quadril.

Os nervos são então tratados com uma corrente de baixo grau conhecida como radiofrequência que os “atordoa”, retardando a transmissão da dor ao cérebro.

23 pessoas com osteoartrite foram submetidas a tratamento, incluindo 12 com dor no ombro e 11 com dor no quadril, que não responderam ao controle da dor antiinflamatória e injeções intra-articulares de lidocaína-esteróide.

O tratamento foi realizado duas a três semanas após os pacientes terem recebido diagnóstico de bloqueios nervosos anestésicos.

Não houve complicações relacionadas ao procedimento, e ambos os grupos de dor no quadril e no ombro relataram diminuição estatisticamente significativa no grau de dor com aumento correspondente na função dinâmica após o tratamento.

Dependência

Pessoas com dor moderada a intensa relacionada à osteoartrite enfrentam opções de tratamento limitadas. Abordagens comuns, como injeções de anestésico e corticosteroides nas articulações afetadas, tornam-se menos eficazes à medida que a artrite progride e piora.

E o novo procedimento oferece uma nova alternativa para os pacientes que enfrentam a perspectiva da cirurgia. Além disso, pode diminuir o risco de dependência de opiáceos.

“Este procedimento é o último recurso para pacientes que não conseguem ser fisicamente ativos e podem desenvolver um vício em narcóticos”, disse o Dr. Gonzalez.

Outras possibilidades

O procedimento também pode ter inúmeras aplicações fora do tratamento da dor artrítica, explicou o Dr. Gonzalez.

Os usos potenciais incluem o tratamento da dor relacionada a doenças como câncer e síndrome da dor relacionada à anemia falciforme, por exemplo.

“Estamos apenas arranhando a superfície aqui”, disse Gonzalez. “Gostaríamos de explorar a eficácia do tratamento em pacientes em outros ambientes, como trauma, amputações e, especialmente, em pacientes com câncer com doença metastática”.

Com informações da SRNA e GNN

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Paraplegia não impede enfermeira de fazer parto humanizado



A enfermeira obstetra Melissa Martinelli passou por sérios problemas de saúde depois de um acidente de moto que a tornou paraplégica. E estar numa cadeira de rodas não impede a brasileira de trazer ao mundo crianças da forma mais amorosa possível, pelo método de parto humanizado.

Com 20 anos de estrada e especialização em neonatologia, Mel se encontrou ao focar seu trabalho nos partos humanizados. Mais de 1300 bebês já nasceram com a ajuda dela. Em 2019 foram 79 e em 2020, em plena pandemia, 107.

O acidente

No meio dessa história, exatamente em 15 de outubro de 2016, um acidente interrompeu sua carreira. Após ter fraturado a vértebra T12, Mel precisou dedicar um bom tempo para cumprir uma intensa reabilitação no Hospital Sarah Kubitschek e poder voltar a atuar o mais rápido possível.

E foi assim que em apenas três meses ela estava de volta à sua paixão: ajudar mulheres a parir de uma forma humanizada. Em 2 de fevereiro de 2017, Mel voltou a atender como enfermeira principal, a primeira vez após o acidente.

“Amo tanto o que faço que durante todo aquele parto esqueci a cadeira de rodas. Só lembrei depois que o bebê nasceu”, relembra entusiasmada o dia de eu retorno.

Como nos partos a mulher fica livre para escolher a posição que se sente mais confortável, Mel já tinha como costume partejar sentada, então pouco mudou. A diferença é que agora ela precisa ter por perto uma enfermeira, que cumpre a função de ajudar quando ocorre alguma intercorrência que exija agilidade para pegar alguma medicação, por exemplo.

Novo projeto

Melissa está agora à frente do Centro de Parto Humaniza, inaugurado este mês exatamente em frente ao Hospital Anchieta, em Taguatinga, na Capital Federal.

O espaço tem 78 metros quadrados e conta com uma equipe de quatro obstetras humanizados e cinco enfermeiras obstetras que atendem em uma sala de parto projetada para ser um lugar especial.

O espaço trabalha em parceria com o Hospital Anchieta, que agora também conta com uma sala de parto nos moldes da que existe no Humaniza.

Mel conta que seu trabalho é oferecer o melhor ambiente para que um ser humano chegue ao mundo, ou seja, da forma menos traumática e mais amorosa, e é essa a sua missão.

Ela acredita no que diz o obstetra francês Michel Odent: “Para mudar o mundo, precisamos mudar a forma de nascer”.



Fonte: SNB

domingo, 20 de agosto de 2017

8 coisas que o SUS oferece e você não sabe
SUS


O Sistema Único de Saúde (SUS) abrange desde o simples atendimento ambulatorial até o transplante de órgãos, garantindo acesso integral, universal e gratuito para toda a população do Brasil.

Amparado por um conceito ampliado de saúde, o SUS foi criado, em 1988 pela Constituição Federal Brasileira, para ser o sistema de saúde dos mais de 180 milhões de brasileiros.
Direitos dos Usuários do SUS
A “Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde” traz informações para que você conheça seus direitos na hora de procurar atendimento de saúde. Ela reúne os seis princípios básicos de cidadania que asseguram ao brasileiro o ingresso digno nos sistemas de saúde, seja ele público ou privado. Veja o conteúdo completo aqui.

Alguns dos serviços mais conhecidos do SUS são a Farmácia Popular, Melhor em Casa – Assistência Domiciliar (para pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica, por exemplo), Centro de Testagem e Acolhimento (CTA) – DST/AIDS, SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) e o calendário de vacinação (saiba mais sobre cada serviço aqui).
Reunimos uma lista de outros tratamentos e cursos oferecidos pelo SUS:
  1. DIU de cobre
  2. Curso gratuito sobre o uso de plantas medicinais
  3. Meditação e terapias alternativas
  4.  Adesivo para tratamento contra o Alzheimer
  5. Cirurgias reparadoras para mulheres que sofreram algum tipo de violência
  6. Pílula anti-HIV
  7.  Antipsicótico para tratamento de Parkinson
  8. Shantala, terapia de massagem para bebês
Fonte: Catraca Livre