domingo, 31 de janeiro de 2021

34% dos profissionais com deficiência se sentem isolados no mercado de trabalho



Pesquisa feita pela Santo Caos, em parceria com a Catho, reforça o quanto as empresas precisam investir no tema inclusão.

Pesquisa realizada pela Santo Caos – consultoria de engajamento por meio de diversidade – em parceria com a Catho, revela que 34% dos profissionais com deficiência se sentem isolados no ambiente de trabalho.

Ainda segundo o levantamento, realizado com mais de 1.000 participantes, dentre eles gestores e profissionais com deficiência, outros pilares também foram observados, tais como ausência de: compartilhamento (37%), compromisso (17%) e orgulho (11%).

“Recrutar é o primeiro passo, mas se a empresa deseja um profissional envolvido, ela precisa dar voz, reconhecer e integrar este público na organização. Ter diversidade não é suficiente, é necessário engajar e incluir. Não existe uma empresa que pode se dar ao luxo de desperdiçar talentos, enxergar isso no profissional independente de quem ele seja trará diversos benefícios para o negócio”, afirma Guilherme Françolin, sócio da Santo Caos.

Já para a gerente sênior da Catho, Tábitha Laurino, no mercado de trabalho, essas especificidades são observadas por meio da cultura da empresa, que mede as relações profissionais com o crescimento dos resultados. Logo, se um profissional com deficiência se sente inferior no ambiente de trabalho em detrimento ao restante da equipe, é papel dos líderes e gestores injetarem a inclusão de forma mais efetiva entre os times.

“Citamos o pertencimento como pilar primordial nessa pesquisa, pois este é o ponto que mais dói no dia a dia das pessoas com deficiência, seja na área pessoal ou profissional. Paralelamente a esse déficit, temos o impacto desse baixo engajamento também em outros pilares. Um profissional que não se sente parte de equipe não se orgulha do seu local de trabalho, não veste a camisa e não a compartilha. Essa deve ser sim uma preocupação das empresas para irem além das cotas”, afirma a profissional.

Estimular a inclusão de forma assertiva traz diversos benefícios para os colaboradores, bem como para o ambiente organizacional. Ao ter uma equipe diversa é possível aumentar o nível de comprometimento, motivação, engajamento e produtividade. Assim como criar um ambiente de trabalho mais equilibrado e com maior sinergia, além de proporcionar uma estruturação do quadro de funcionários e crescimento contínuo com alcance dos resultados desejados.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Sensaura, a solução inclusiva para navegar no mundo além da visão


Criado pela designer inglesa Sophie Horrocks, o dispositivo foi desenhado para orientar o deslocamento de pessoas com deficiência visual

Como podemos navegar pelo mundo sem visão?

Sensaura é uma solução de design inclusiva para pessoas com deficiência visual poderem navegar pelo mundo além da visão. O aplicativo usa uma linguagem de áudio espacial por meio da tecnologia wearable para permitir viagens independentes de espaços internos e externos, com o potencial de transformar a navegação sem o uso das mãos para milhões de pessoas em todo o mundo, além dos usuários cegos e com baixa visão.

O gadget ganhou reconhecimento de notáveis ​​líderes da indústria, incluindo Jony Ive, Chanceler do Royal College of Art, que foi Diretor de Design da Apple, Gerry McGovern, diretor de criação da Land Rove e Yves Béhar, fundador e CEO da fuseproject.

O que motivou Sophie Horrocks a criar o Sensaura?

“Como podemos navegar pelo mundo sem visão? Atualmente, no Reino Unido, quase 2 milhões de pessoas vivem com algum grau de perda de visão. Esse número deve dobrar até 2050. Um usuário afirmou que eles foram “desativados apenas pelo design de nosso ambiente”. Podemos não ser capazes de redesenhar todo o ambiente, mas, mais facilmente, podemos projetar nossa percepção do ambiente”, diz a designer.

As tecnologias assistivas atuais para navegação têm se concentrado no desenvolvimento de inteligências para detectar e processar informações visuais dos ambientes. O Sensaura tem uma abordagem que promete começar com o objetivo ideal de como seria um futuro totalmente inclusivo e acessível, trabalhando a partir daí e colocando o usuário humano no centro de seu processo para garantir uma solução desejável e sustentável.

O processo de criação começou com uma pesquisa global com usuários cegos e de baixa visão em Tóquio, Nova York e Londres, e identificou o problema global enfrentado por essas pessoas de como navegar não apenas de forma independente, mas intuitiva. O envolvimento de usuários com deficiências visuais em todo o processo de design validou a relevância do projeto.

Para mais informações sobre o Sensaura e para conferir o vídeo sobre o aplicativo, acesse o site (em inglês): https://www.sophiehorrocks.com/sensaura 
Site externo.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Homem recebe primeiro transplante duplo de braço e ombro



A ciência cada vez mais evoluída. Um homem da Islândia foi o primeiro do mundo a receber um transplante duplo de braço e ombro.

A cirurgia foi um sucesso e o paciente, o islandês Felix Gretarsson, de 48 anos, passa bem.

A operação delicada envolveu quatro equipes cirúrgicas para minimizar o tempo de transição entre o doador e o receptor. O procedimento foi feito em Lyon, na França.

Os médicos informaram em entrevista coletiva que a cirurgia foi realizada no início deste mês e, por enquanto, ainda não é possível prever quanto da mobilidade do paciente será recuperada.

“Dar um pouco para alguém que estava perdendo tanto já é muito”, afirmou o cirurgião-chefe da operação, Aram Gazarian.

“Com este nível de amputação, não podemos prometer nada”, afirmou o cirurgião que lançou o protocolo médico para a operação em 2010, Lionel Badet.

Os médicos afirmaram que a perspectiva de o braço direito se tornar funcional é melhor do que a do esquerdo, que também exigiu uma reconstrução completa do ombro.

Eles garantiram que nenhuma complicação séria foi detectada, nove dias após a operação.

“Gretarsson tem anos de reeducação pela frente, mas vamos apoiá-lo por toda a vida”, disse Lionel Badet.

O acidente

O islandês Felix Gretarssoné era eletricista e perdeu os dois braços em um acidente elétrico, em 1998.

Ele trabalhava em um fio de alta tensão quando uma onda de 11 mil volts queimou suas mãos e o jogou no chão.

Felix sofreu múltiplas fraturas e ferimentos internos, ficou em coma por três meses, e, neste período, sofreu a amputação de ambos os braços.

“Eu perdi tudo após o rescaldo, minha noiva foi embora com nossas duas filhas, perdi minha capacidade de cuidar de mim mesmo e perdi minha identidade […] Mergulhei nas drogas e na depressão. Nos quatro anos seguintes, minha vida só piorou”, contou Felix no site dele.

A virada

Depois de mergulhar na tristeza, ele conseguiu sair do fundo do poço e começou a enxergar a vida com outros olhos.

“Felizmente, chegou o dia do despertar. […] Percebi que era muito mais forte do que pensava e que o mundo está cheio de pessoas boas que podem nos ajudar a superar nossas dificuldades”, escreveu Felix.

Ele passou a compartilhar sua rotina com milhares de seguidores, a realizar palestras motivacionais contando sua história e dividiu essa parceria com a nova esposa, a professora de ioga Sylwia Gretarsson.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Pacote de acessibilidade do Android aprimora os controles por gestos



Atualização oferece mais alternativas às atuais opções de deslizamento de um dedo na tela ou no sensor de impressão digital.

Pacote de Acessibilidade do Android agora oferece recursos de controle do aparelho com gestos na tela, utilizando dois ou três dedos.

A novidade está disponível na versão 9.0, em distribuição gradual na Play Store, 
Site externo
mas precisa ser habilitada em um menu dentro das configurações do recurso TalkBack — voltado originalmente para leitura da tela.

Com a atualização instalada, basta abrir o aplicativo de Configurações do Android e entrar na opção Acessibilidade > TalkBack. Nas configurações do recurso, acesse “Configurações do desenvolvedor” e, ao final da lista de opções, a tela deve mostrar uma opção “Habilitar gestos …”. Ao ser ativada, ela libera uma nova opção no menu “Gestos” dentro das configurações do TalkBack.

A atualização inclui gestos com dois ou três dedos, oferecendo mais alternativas às atuais opções de deslizamento de um dedo na tela ou no sensor de impressão digital. Os novos gestos permitem uma maior gama de controle do aparelho, especialmente para usuários com deficiência visual.

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

6 livros para ampliar a visão sobre crianças com deficiência



As obras constroem narrativas que colocam como protagonistas as pessoas com deficiência e ressaltam suas múltiplas potências.

A inclusão das crianças com deficiência passa por compreender que não são elas que têm “dificuldades”, mas que falta nas ruas, instituições e na sociedade como um todo os recursos necessários para abarcar quaisquer diferenças, e possibilitar que todos possam se desenvolver integralmente.

Compreender esse conceito, no entanto, pode ser uma tarefa complexa para elas e, neste processo, a literatura infantil pode ajudar. Algumas obras constroem narrativas que colocam como protagonistas as pessoas com deficiência e em uma perspectiva de igualdade, contribuindo para uma abordagem que ressalta suas múltiplas potências.

Nessa perspectiva, a Mais Diferenças 
Site externo
 listou 6 livros que tratam da questão da deficiência. A maior parte destas obras também está disponível na biblioteca virtual da instituição, 
Site externo
 em formatos acessíveis. Confira:

Sonhos do dia
Por Claudia Werneck

A menina que protagoniza o livro sonha, durante a noite, que pode tudo. Mas todos os dias ao acordar volta a se deparar com as limitações que o mundo ao seu redor impõe. Cansada dessa situação, ela pede a heróis e heroínas, seres das galáxias, das revistas em quadrinhos, da televisão, dos sonhos de outras crianças, da internet, dos livros e das histórias que seu avô contava para que revelem o segredo de fazer os sonhos da noite não morrerem durante o dia.

Daniel no Mundo do Silêncio
Por Walcyr Carrasco e ilustrações de Cris Eich

Quando Daniel perde a audição, aos 7 anos, ele precisa aprender a se comunicar de outra maneira: com as mãos. Seus pais o matriculam então em uma escola especializada em educação para surdos, onde ele aprende a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Depois de um tempo, Daniel passa a frequentar simultaneamente uma escola comum, onde supera o bullying e encontra a solidariedade.

Uma nova amiga
Por Lia Crespo

João é um menino cheio de imaginação que conversa com seus brinquedos. Diante de uma nova realidade em sua vida, conta com o apoio desses e de outros personagens para lidar com os desafios. A obra aborda a influência transformadora dos professores e a importância do apoio familiar.

As cores no mundo de Lucia
Por Jorge Fernando dos Santos

Nesse livro, Lucia é uma menina muito inteligente e adora brincar. Ela tem deficiência visual e descobre uma maneira divertida de perceber as cores que estão a sua volta, usando como ninguém a audição, o olfato, o paladar e o tato.

Tom
Por André Neves

A história do menino Tom é contada por seu irmão, que sempre o observa intrigado: “Por que Tom não brinca? Por que Tom não diz o que sente? Onde Tom guarda todos os seus sonhos?”. Até que um dia, Tom chama seu irmão para que conheça o seu segredo, e assim se aproximam de verdade.

Serei Sereia
Por Kely de Castro

Assim como todas as crianças, Inaê passa por momentos de tristeza, alegria, conflito e tranquilidade. Ela tem como desafio o fato de não poder andar, mas com o apoio de sua mãe, descobre que pode construir sua própria história.

Fonte: Centro de Referências em Educação Integral 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Governo de São Paulo abre inscrições para curso gratuito e on-line de Libras



As aulas têm como objetivo ampliar as possibilidades de interação entre pessoas com e sem deficiência auditiva por meio da Língua Brasileira de Sinais.

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência abre inscrições para o curso de educação a distância (EaD) de Libras (Língua Brasileira de Sinais). O curso, totalmente gratuito, está sendo oferecido para todo o estado de São Paulo, a fim de promover a inclusão das pessoas com deficiência. As inscrições devem ser feitas por meio do formulário https://bit.ly/CursoLibras2021 
Site externo
 .

Para ampliar a autonomia do público com deficiência, o conteúdo tem o objetivo de capacitar o usuário para a comunicação por meio da Libras, a fim de incluir as pessoas com deficiência auditiva que utilizam essa língua para a comunicação.

Em parceria com o Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), a Secretaria realiza hoje o curso de forma on-line em virtude da pandemia do novo coronavírus. Os alunos matriculados poderão acessar os conteúdos e aulas e, ao final do curso, receberão o certificado de conclusão.

Importância

Atualmente, vivem quase 500 mil pessoas com deficiência auditiva no estado de São Paulo, de acordo com a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Pensando em facilitar a compreensão de todos e aperfeiçoar a comunicação entre pessoas com e sem esta deficiência, a Secretaria realiza de forma gratuita o Curso de Libras, que em 2020 formou mais de 500 pessoas em diversas regiões do território paulista.

domingo, 24 de janeiro de 2021

Cego volta a enxergar após 1º transplante de córnea artificial do mundo



Deu certo. Pela primeira vez na história um homem cego voltou a enxergar. O paciente foi operado por médicos do Rabin Medical Center, em Israel e recebeu o primeiro transplante de córnea artificial bem-sucedido do mundo. 24 horas depois ele já estava enxergando.

O homem é um idoso de 78 anos, chamado Jamal Furani, que ficou cego durante 10 anos.

Ele perdeu a visão por ter córnea deformada e após o implante foi capaz de ler textos e reconhecer parentes. A primeira coisa que ele afirma ter visto foi a luz.

“Testemunhar um outro ser humano recuperar a visão no dia seguinte foi eletrizante e emocionalmente comovente”, disse o doutor Gilad Litvin, inventor do dispositivo, em entrevista ao Israel Hayom.

Como

O implante artificial, denominado KPro, pode substituir uma córnea deformada ou opaca.

Ele tem um nano-tecido sintético não degradável que é colocado sob uma membrana que cobre a superfície da pálpebra e a parte branca do globo ocular.

Ao ser implantado, ele se integra com o tecido vivo e estimula a “proliferação celular” dentro do olho.

O procedimento foi feito pela startup israelense CorNeat e foi aprovado para testes clínicos em julho do ano passado.

O doutor Gilad Litvin contou que operação era “relativamente simples” e durou menos de uma hora.

Futuro

Atualmente, transplantes de córnea são procedimentos comuns, mas necessitam de doadores e a demanda é alta.

Os resultados deste transplante de córnea artificial são significantes para o futuro de pessoas cegas no mundo.

“O procedimento cirúrgico foi simples e o resultado superou todas as nossas expectativas”, disse o professor Irit Bahar, chefe de oftalmologia do Rabin Medical Center.

Ele complementa que a tecnologia era “a chave para virar a maré contra a cegueira global” e que era emocionante “estar na vanguarda desde projeto que sem dúvida impactará milhões de vidas”.

Outros 10 pacientes foram aprovados para fazer o procedimento de transplante de córnea artificial no Rabin Medical Center.

Com informações do Israel Hayom e  Exame

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Ryan Reynolds grava mensagem linda para fã de 11 anos com câncer


O ator
 Ryan Reynolds emocionou as redes sociais com a mensagem que mandou em vídeo para um fã de 11 anos que luta contra um câncer avançado no sistema linfático.

Ele soube que o humor de “Deadpool” ajuda o menino Brody Dery durante o tratamento contra o Linfoma de Hodgkin.

No vídeo, o astro de “Deadpool” fala diretamente para o Brody:

“Acabei de ouvir um pouco da sua história e gostaria de te mandar esse vídeo pra você saber que estou pensando em você e te mandando toneladas de amor e toda a força que eu puder”, fala Reynolds.

“Você tem uma tonelada de pessoas na sua vida que te amam muito. Sei que você está enfrentando um desafio imenso ultimamente. Mas saiba de uma coisa, Brody, você é o cara certo para esse trabalho”, disse o ator.

A conversa foi possível graças ao esforço da mãe de Brody, Randi, que gravou um vídeo conversando com o filho sobre como o humor de “Deadpool” o ajuda durante o tratamento contra o Linfoma de Hodgkin em estágio 3B.

“Brody vê graça em tudo. Ele sempre olha o lado positivo das coisas”, disse em entrevista ao site CTV News.

Ela contou à tv canadense sobre a reação de Brody após receber o vídeo do ídolo.

“Ele ficou de queixo caído. Ele ficava falando, ‘eu me sinto especial – sinto que sou uma estrela de cinema'”, disse a mãe.

Veja a mensagem do Ryan Reynolds:

E a mensagem da mãe do Brody: